A Atlas realizou nos dias 10, 11 e 12 de junho a doação de 400 mudas junto às comunidades de entorno do Parque Solar Jacarandá. Foram distribuídas 13 espécies diferentes, dentre elas Jacarandá, Saboneteira, Mororó, Juazeiro, Ipê-Amarelo, Ipê-Roxo, Pereiro-Vermelho, Tamboril, Anjico-Monjolo, Angico-de-Bezerro, Caraibeira, Flor-de-São-João e Cássia Rosa.

A ação fez parte da comemoração ao dia Mundial do Meio Ambiente para incentivo da preservação de flora e mais de 50 famílias foram beneficiadas.

O acervo apresentado foi composto por materiais arqueológicos dos períodos pré-históricos e históricos, dentre eles, pontas de projéteis em pedra, cerâmicas, moedas e louças. Fizeram parte também réplicas de crânios que representam a evolução dos hominídeos. Parte do acervo foi cedido pelo Laboratório de Pré – História da Universidade Federal do Vale do São Francisco – UNIVASF, e a outra parte são materiais provenientes das ações do Programa de Resgate Arqueológico do Complexo Solar Juazeiro V, VI e VII.

A acessibilidade ao conhecimento arqueológico no Parque Solar Jacarandá, é um compromisso e missão da Atlas juntamente com a empresa CRN-Bio para com a sociedade. Os bens arqueológicos encontrados nos sítios escavados, preservam a nossa história e nos ajudam a contá-la.

 

O Parque Solar Jacarandá está sendo instalado em uma área constituída por remanescentes de vegetação de caatinga. A Caatinga é um bioma encontrado unicamente no Brasil e abriga uma grande diversidade de paisagens, povos e espécies da fauna e flora ainda pouco conhecidas. Esse bioma tem uma importância fundamental para a biodiversidade do planeta,   pois 33% de sua vegetação e 15% de seus animais são espécies exclusivas (endêmicas), que não existem em nenhuma outra parte do mundo. 

 Na data de 28 de abril, Dia Nacional da Caatinga, para celebrar a importância desse bioma, foi promovido um evento para os colaboradores do Parque Solar Jacarandá, possibilitando o diálogo sobre temas relevantes como preservação, biodiversidade e legislações ambientais. Além disso, com foco na recuperação de áreas de preservação permanente e de reserva legal do empreendimento, foi iniciado o plantio de mudas nativas através da execução do PREV – Projeto de Revegetação e Enriquecimento Vegetal, que tem por objetivo a conservação dos recursos naturais e paisagísticos, também como forma de compensação para supressão de espécies nativas, incluindo as protegidas.

A área total a ser recuperada durante PREV é de 168,65 hectares, onde serão plantadas mais 21.050 mudas de plantas nativas da Caatinga, espécies como: Angico, Baraúna, Aroeira e Umbuzeiro.

No atendimento às condicionantes ambientais, o Projeto Jacarandá conta com atividades do Programa de Afugentamento e Resgate da Fauna, que tem por objetivo adotar medidas técnicas de resgate e afugentamento das espécies recorrentes durante a etapa de supressão vegetal da obra, de forma a minimizar os riscos de acidentes, evitar ferimentos e a morte de animais silvestres durante a construção do parque. Atualmente, a equipe de fauna é composta por 01 médica veterinária, 02 biólogos de fauna e 06 auxiliares para realização de atendimento aos resgates. Em novembro e dezembro de 2020 foram realizados 2.782 registros e em janeiro de 2021 com 1.971 registrosincluindo sinalização, isolamento, óbito, afugentamento, avistamento, relocação (captura e soltura) e tratamento médico.

No dia 18 de março de 2021, aconteceu a 4ª reunião da CAE, e 3º seminário sobre o Parque Solar Jacarandá, visando informar com transparência aos integrantes, representantes de instituições públicas e entidades civis, sobre o avanço do empreendimento, os indicadores dos programas socioambientais e tratativas advindas dos mecanismos de ouvidoria da obra. Apesar do cenário de pandemia em que o país se encontra, o Parque Jacarandá mantém ativa a realização das reuniões, sendo realizadas mensalmente de forma virtual. A Comissão de Acompanhamento do Empreendimento (CAE) é de extrema importância para manter um forte vínculo entre comunidade e empreendedor, além de constituir um espaço onde lideranças e representantes do poder público e da população podem se encontrar e discutir tudo que envolve a implantação do empreendimento.

No dia 25 de Fevereiro de 2021, o Projeto Jacarandá alcançou um grande marco na sua implantação, com a instalação dos primeiros seguidores solares.

Você já ouviu falar sobre seguidor solar? Também conhecido como rastreador solar (tracker solar), é um dispositivo que automatiza uma planta solar fotovoltaica para a movimentação dos módulos solares sempre em um ângulo de inclinação que melhor absorva a luz solar durante o dia. Trata-se de uma barra metálica que além de dar suporte aos módulos solares, é formada por motores, engrenagens e sensores, que permitem a sua movimentação de acordo com a posição do sol. Desta forma, ao longo do dia, a captação da luz solar direta é melhor aproveitada. O Projeto Jacarandá possui a tecnologia de seguidores solares de eixo único, que darão suporte aos 450 mil módulos bifaciais que compõem a planta, permitindo que ao longo do dia estes estejam melhor posicionados com relação ao sol, proporcionando um aumento de aproximadamente 50% de geração de energia no verão e 20% no inverno. Gostou da informação? Então, continuem acompanhando o avanço do Projeto Jacarandá através do site.