Posts

Você sabe o que é uma Iniciativa Social Privada? Esse termo é utilizado quando uma empresa investe um determinado recurso em projetos sociais de forma planejada, monitorada e voluntária.

Para promover esse investimento, com o propósito de beneficiar os moradores das comunidades localizadas no entorno do Parque Solar Jacarandá, a Atlas Renewable Energy iniciou a implantação do Projeto Ecociclo – Saneamento e Produção Sustentável.

O projeto visa implantar uma tecnologia saneamento rural nas residências das comunidades da área de influência direta do empreendimento, através de um sistema ecológico de tratamento que maximiza as ações de bactérias responsáveis pela decomposição e transformação dos dejetos do esgoto doméstico, devolvendo ao meio ambiente uma água tratada, sem poluir o lençol freático, rica em nutrientes para as plantas, que pode ser utilizada na irrigação.

Essa tecnologia tem alta durabilidade e não necessita de energia ou produtos químicos para seu funcionamento, também possibilita a preservação do meio ambiente, a melhoria da saúde e da qualidade de vida das famílias, além de aprimorar o conhecimento da população quanto a práticas agrícolas, associadas à segunda etapa do projeto, que consiste na implantação dos Quintais Produtivos, estimulando e viabilizando o plantio de espécies frutíferas em seus quintais.

O projeto teve inicio no mês de junho de 2021 e terá um total de 33 famílias beneficiadas.

A Atlas valoriza e se preocupa com a preservação do patrimônio cultural imaterial. Os bens culturais de natureza imaterial dizem respeito àquelas práticas e domínios da vida social que se manifestam em saberes; celebrações; formas de expressão cênicas, plásticas, musicais ou lúdicas; e nos lugares.

Durante a implantação do Parque Solar Jacarandá, dentro do empreendimento foi identificado, através de estudos arqueológicos, um espaço de oferendas características de religiões africanas, fato que motivou a parceria entre Atlas e CRN-Bio, consultoria responsável pela pesquisa, para realização de um levantamento acerca dos grupos que utilizavam aquela área para práticas religiosas.

Assim, após esse levantamento, foram identificadas doze casas, entre terreiros de Umbanda e Candomblé.

Depois de identificadas, foram realizadas visitas e rodas de conversas com os líderes religiosos de cada um desses espaços sagrados, comumente referenciados como “pais” e “mães”.

O conteúdo coletado durante as rodas de conversas com os líderes religiosos irá possibilitar a elaboração de um livro que narrará as histórias desses terreiros com o objetivo de contribuir com o reconhecimento das religiões de matriz africana, bem como com a visibilidade, preservação, respeito e valorização do patrimônio imaterial cultural e religioso brasileiro.

Entre 21 de Junho e 14 de Julho de 2021, nós na Atlas Renewable Energy, promovemos a campanha Produzindo Energia Solidária.

Esta ação foi sugerida pelos nossos funcionários e levada adiante pela SNEF, a empresa construtora do Parque Solar Jacarandá.

O objetivo da campanha foi recolher doações de alimentos não perecíveis e distribui-los às famílias socialmente vulneráveis no município de Juazeiro na Bahia. A ação contou com a contribuição dos colaboradores e empresas que compõe a equipe de trabalho do Parque Solar jacarandá e também com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade (SEDES) de Juazeiro-BA para a indicação de famílias vulneráveis a serem beneficiadas.

Foram mais de cem (100) cestas básicas distribuídas nos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) do município e no bairro Malhada da Areia.

Com esta distribuição de alimentos, continuamos a zelar pelo bem-estar das comunidades que rodeiam os nossos projectos de energias renováveis e tentamos ajudar de todas as formas possíveis.

A Atlas realizou nos dias 10, 11 e 12 de junho a doação de 400 mudas junto às comunidades de entorno do Parque Solar Jacarandá. Foram distribuídas 13 espécies diferentes, dentre elas Jacarandá, Saboneteira, Mororó, Juazeiro, Ipê-Amarelo, Ipê-Roxo, Pereiro-Vermelho, Tamboril, Anjico-Monjolo, Angico-de-Bezerro, Caraibeira, Flor-de-São-João e Cássia Rosa.

A ação fez parte da comemoração ao dia Mundial do Meio Ambiente para incentivo da preservação de flora e mais de 50 famílias foram beneficiadas.

O acervo apresentado foi composto por materiais arqueológicos dos períodos pré-históricos e históricos, dentre eles, pontas de projéteis em pedra, cerâmicas, moedas e louças. Fizeram parte também réplicas de crânios que representam a evolução dos hominídeos. Parte do acervo foi cedido pelo Laboratório de Pré – História da Universidade Federal do Vale do São Francisco – UNIVASF, e a outra parte são materiais provenientes das ações do Programa de Resgate Arqueológico do Complexo Solar Juazeiro V, VI e VII.

A acessibilidade ao conhecimento arqueológico no Parque Solar Jacarandá, é um compromisso e missão da Atlas juntamente com a empresa CRN-Bio para com a sociedade. Os bens arqueológicos encontrados nos sítios escavados, preservam a nossa história e nos ajudam a contá-la.

 

O Parque Solar Jacarandá está sendo instalado em uma área constituída por remanescentes de vegetação de caatinga. A Caatinga é um bioma encontrado unicamente no Brasil e abriga uma grande diversidade de paisagens, povos e espécies da fauna e flora ainda pouco conhecidas. Esse bioma tem uma importância fundamental para a biodiversidade do planeta,   pois 33% de sua vegetação e 15% de seus animais são espécies exclusivas (endêmicas), que não existem em nenhuma outra parte do mundo. 

 Na data de 28 de abril, Dia Nacional da Caatinga, para celebrar a importância desse bioma, foi promovido um evento para os colaboradores do Parque Solar Jacarandá, possibilitando o diálogo sobre temas relevantes como preservação, biodiversidade e legislações ambientais. Além disso, com foco na recuperação de áreas de preservação permanente e de reserva legal do empreendimento, foi iniciado o plantio de mudas nativas através da execução do PREV – Projeto de Revegetação e Enriquecimento Vegetal, que tem por objetivo a conservação dos recursos naturais e paisagísticos, também como forma de compensação para supressão de espécies nativas, incluindo as protegidas.

A área total a ser recuperada durante PREV é de 168,65 hectares, onde serão plantadas mais 21.050 mudas de plantas nativas da Caatinga, espécies como: Angico, Baraúna, Aroeira e Umbuzeiro.